R$190,00

R$152,00

Entregas para o CEP: Alterar CEP
Calcule seu frete
Descrição

QUEM SOU

Eu já fui malote de banco usado, e agora carrego uma história cheia de riqueza. Minha ideia nasceu entre os funcionários de um comitê do Banco do Brasil, que eram engajados na Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida, organizada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho.

 

COMO SOU

Sou feita de lona reaproveitada de malotes bancários. Possuo fecho de corda e bolsinho interno sem fecho para deixar objetos sempre a mão. Minha alça é de tamanho regulável e meu forro é de tecido estampado, resíduo da indústria da moda.

 

Tamanho: 30cm x 50cm

Produto feito a partir do reaproveitamento de materiais, portanto, podem existir pequenas variações de cor e/ou estampa.

 

QUEM ME FEZ

O Grupo Nós do Ponto Chic, do bairro Ponto Chic, em Nova Iguaçu (RJ), surgiu em meados da década de 1990, como uma iniciativa de geração de renda da Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida, liderada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho. Para produzir bolsas, necessaires, sousplats, centros de mesa, estojos escolares e outros objetos feitos de malotes bancários usados, o Nós do Ponto Chic recebe materiais do Comitê Elos da Cidadania, formado por funcionários da Banco do Brasil, e assessoria do artista plástico e designer Cocco Barçante.

 

Assim que os malotes chegam na associação onde o grupo se reúne, passam por uma triagem e são separados por cores. Em seguida são lavados e separados por tamanho. Os retalhos menores se tornam os detalhes das bolsas e os maiores, a estrutura.

 

 

Os forros internos são excedentes de produção doados pela grife de moda Farm através da de uma parceria com a Rede Asta, um negócio social que atua na economia do feito à mão desenvolvendo artesãs em empreendedoras que transformam resíduos em produtos bons, bonitos e do bem.